terça-feira, 21 de março de 2017

Operação "Carne Fraca" da Polícia Federal e os aditivos químicos

Segundo polícia Federal, papelão e ácidos ascórbico e sórbico são utilizadas nas carnes
Foi divulgado nesta sexta-feira pela Polícia federal a operação "Carne Fraca", onde grandes empresas  alimentícias, supostamente, vem utilizando papelão e adicionando ácidos sórbico e ascórbico (vitamina C). Evidentemente estas informações espalharam pela internet e causaram pânico em muitos consumidores. Mas, quais são os reais problemas que estas substâncias podem causar?

Segundo a engenheira de alimentos Carmen Castillo, da ESALQ - USP, em entrevista à BBC, os ácidos sórbico e ascórbico (vitamina C) ‒ ambos citados nas acusações ‒, são permitidos pela Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária) durante o processamento dos alimentos. O limite máximo permitido de ácido sórbico é de 0,02g por 100g de carne. Já o ácido ascórbico é autorizado em “quantidade suficiente para obter o efeito”. Por isso, o problema não é utilizar tais substâncias, mas sim usá-las em quantidades acima dos níveis permitidos a fim de mascarar a aparência e o mau cheiro de carne estragada.

Eduardo Tondo, professor de Ciência e Tecnologia de Alimentos da Universidade Federal do Rio Grande do Sul, ressaltou que o ácido sórbico é um conservante seguro. Segundo o professor, os danos à saúde que podem ser causados ao ingerir carne com ácido sórbico se referem à contaminação pela carne estragada e não pelo químico. De acordo com ele, o ácido sórbico não é um produto cancerígeno e nem capaz de causar doenças crônicas, mas pode mascarar os efeitos de uma carne contaminada por bactérias, por exemplo, o que poderia causar infecções. Especialistas também alegam que o ácido ascórbico estabiliza o sabor e evita que a carne fique com uma coloração escura, podendo mascarar a deterioração em estágios iniciais, e não possui efeitos cancerígenos.

"O uso do ácido ascórbico(vitamina C) tem benefícios e não é para mascarar carne adulterada. Ele tem uma função nas carnes processadas como antioxidante, ajuda a melhorar a estabilidade do sabor e reduzir o teor de nitrito residual. O nitrito é um aditivo para realizar a cura, que é uma etapa importante no processamento da maior parte dos produtos processados. Todo ingrediente não cárneo tem função a cumprir no processamento de alimentos", afirmou Carmen Castillo.

O ácido sórbico é um potente inibidor de mofo, leveduras e bolor, mas não é tão eficiente em inibir bactérias. Pode causar alergia, se consumido excessivamente.

Vale ressaltar que estes compostos só são permitidos para serem utilizados em produtos embutidos e não em carnes frescas. Carnes usadas como matéria-prima para estes produtos ou as carnes frescas compradas no supermercado não devem ter qualquer aditivo.

Segue a lista de aditivos permitidos pela Anvisa aqui!

Fonte: BBC Brasil

Nenhum comentário:

Postar um comentário

LinkWithin

Related Posts with Thumbnails