quinta-feira, 21 de maio de 2015

Nós, humanos, somos 50% Bananas?

 Por Everton F. Alves

Em 2012, o consórcio internacional de cientistas de plantas sequenciou o genoma da banana e descobriu que este contém mais de 36.000 genes, portanto, praticamente o dobro do genoma humano [1, 2, 3]. Genomas de plantas são incrivelmente dinâmicos, o que os torna um dos mais fascinantes e ao mesmo tempo os organismos mais difíceis de estudar, afirma Eric Lyons, um dos coautores do estudo [4].

Frequentemente, os evolucionistas utilizam a homologia (semelhança de DNA) como base científica para a sugestão de ancestralidade comum. No entanto, semelhanças genéticas poderiam facilmente ser visto como o resultado de um projeto comum, em vez de descendência comum. Agentes inteligentes regularmente reutilizam peças que funcionam em diferentes sistemas (por exemplo, rodas para automóveis e rodas para aviões).

A sequência de DNA não é tudo o que distingue os diferentes tipos de organismos. E o que dizer, então, da banana? Cientistas têm alegado que o ser humano compartilha 50% de seus genes com a banana [5, 6]. O evolucionista Steve Jones, geneticista britânico de renome, com humor, disse: "Nós também compartilhamos cerca de 50% de nosso DNA com bananas e isto não nos faz meia banana a partir da cintura para cima ou da cintura para baixo" [6].

REFERÊNCIAS:

[1] D'Hont A, Denoeud F, Aury JM, Baurens FC, Carreel F, Garsmeur O, Noel B, Bocs S, Droc G, Rouard M, Da Silva C, Jabbari K, Cardi C, Poulain J, Souquet M,Labadie K, Jourda C, Lengellé J, Rodier-Goud M, Alberti A, Bernard M, Correa M, Ayyampalayam S, Mckain MR, Leebens-Mack J, Burgess D, Freeling M,Mbéguié-A-Mbéguié D, Chabannes M, Wicker T, Panaud O, Barbosa J, Hribova E, Heslop-Harrison P, Habas R, Rivallan R, Francois P, Poiron C, Kilian A,Burthia D, Jenny C, Bakry F, Brown S, Guignon V, Kema G, Dita M, Waalwijk C, Joseph S, Dievart A, Jaillon O, Leclercq J, Argout X, Lyons E, Almeida A, Jeridi M, Dolezel J, Roux N, Risterucci AM, Weissenbach J, Ruiz M, Glaszmann JC, Quétier F, Yahiaoui N, Wincker P.The banana (Musa acuminata) genome and the evolution of monocotyledonous plants. Nature. 2012; 488(7410):213-7. http://www.ncbi.nlm.nih.gov/pubmed/22801500

[2] MGC Project Team. The completion of the Mammalian Gene Collection (MGC). Genome Res.2009; 19(12):2324–2333.
http://www.ncbi.nlm.nih.gov/pubmed/19767417

[3] Ezkurdia I, Juan D, Rodriguez JM, Frankish A, Diekhans M, Harrow J, Vazquez J, Valencia A, Tress ML. Multiple evidence strands suggest that there may be as few as 19 000 human protein-coding genes. Hum Mol Genet. 2014; 23(22):5866-78. http://www.ncbi.nlm.nih.gov/pubmed/24939910

[4] Banana Genome Sequenced. [Jul. 2012]. Sci-News. Disponível em: http://www.sci-news.com/genetics/article00477.html

[5] Robert McCredie May, citado por Coglan A, Boyce N. The End of the Beginning: The first draft of the human genome signals a new era for humanity. New Scientist magazine (1 Jul 2000), 167:5.

[6] Jones S. Entrevista ao Museu Australiano em The Science Show, transmitido pela rádio ABC, 12 Janeiro de 2002.

Ferramenta mais antiga que os humanos

Ferramenta de pedra descoberta em deserto do Quênia que teria 3,3 milhões de anos -- 700 mil anos a mais que as ferramentas já encontradas e 500 mil anos mais antigo que os fósseis conhecidos do gênero Homo 
 Cientistas anunciaram nesta quarta-feira (20) a descoberta de ferramentas de pedra de 3,3 milhões de anos em terras desérticas próximas do lago Turkana, no noroeste do Quênia, incluindo lascas afiadas que podem ter sido usadas para cortar carne de carcaças de animais e martelos rudimentares talvez empregados para abrir castanhas ou tubérculos.

Elas são 700 mil anos mais antigas do que quaisquer outras ferramentas de pedra já descobertas, e precedem em 500 mil anos os fósseis mais remotos do gênero Homo, o que significa que provavelmente foram criadas por uma espécie mais primitiva da árvore genealógica humana.

“A transição do uso exclusivo de ferramentas orgânicas naturais, como os chimpanzés fazem, para a criação intencional de uma ferramenta específica de pedra representa um avanço na capacidade cognitiva de nossos ancestrais”, explicou a arqueóloga Sonia Harmand, do Instituto Turkana Basin da Universidade Stony Brook, de Nova York.

Nossos antigos ancestrais fabricaram ferramentas de pedra, uma conquista revolucionária para o progresso humano, muito mais cedo do que se imaginava e muito antes do surgimento do primeiro membro conhecido do gênero humano Homo.

 Espécie 'misturada'

Nossa espécie, Homo sapiens, surgiu aproximadamente 200 mil anos atrás. Os membros mais antigos do gênero Homo que se conhece datam de 2,8 milhões de anos. Uma variedade de ancestrais humanos mais assemelhados aos símios os precederam.

Há muito tempo se presumia que a fabricação de ferramentas de pedra era um triunfo do nosso gênero. A recente descoberta insinua que foram ancestrais humanos mais antigos que deram o salto cognitivo necessário para conceber tais implementos.

Jason Lewis, paleoantropólogo do Instituto Turkana Basin, disse que ainda não está claro quem fabricou as ferramentas. Ele listou três possibilidades: o Kenyanthropus platyops e o Australopithecus afarensis, espécies que misturam traços semelhantes aos dos símios e aos dos humanos, e um membro primitivo ainda não descoberto do Homo.

Fonte: G 1

Nota deste blog: Percebo que os cientistas naturalistas continuam confusos em relação aos estudos dos neandertal e também dos métodos de datação. "Ou, os nossos 'ancestrais' eram bastante 'tecnológicos' ou os métodos de datação não são tão precisos assim." Leia esta curiosidade e perceba melhor a confusão total: Neandertal usava escova de dentes

quarta-feira, 20 de maio de 2015

ORIGENS - O Primeiro Livro da Humanidade - 03

Neste episódio, a natureza como berço da ciência e fonte primordial de conhecimento. De que maneira a humanidade, desde sua mais remota origem - incluindo o despertar da curiosidade por verdadeiros gênios, como Leonardo da Vinci e Isaac Newton - tem aprendido na teoria e na prática em folhas tão vívidas? O que podemos ainda hoje descobrir se nos permitirmos permanecer atentos e abertos a este incrível universo de saber, que se descortina diante de nós?

quarta-feira, 13 de maio de 2015

ORIGENS - Do Artificial ao Natural 02

Você está realmente conectado? Quantas vezes você tem digitado “abraços”, ao invés de abraçar?

Neste episódio, um alerta de como o excesso de artificialismo tem impactado o ser humano (principalmente agora com os tablets e smartphones), tanto na relação social como com o próprio mundo que o cerca. Por outro lado, que diferença o contato com a natureza proporciona para nós – não apenas para a saúde mental e física, mas também no desempenho cognitivo?



Assista aqui o episódio 01.

sexta-feira, 8 de maio de 2015

ORIGENS - 01

Origens: por que buscar e refletir? Das pequenas descobertas e questionamentos de nossa infância ao vazio existencial nos adultos de hoje. Como é passar pela vida sem saber para onde vamos? Afinal, quem somos e de onde viemos?

domingo, 3 de maio de 2015

Por que a moringa conserva água a uma temperatura menor do que a do ambiente?

Resposta: O barro é poroso, permitindo que a água passe através dele. Parte dessa água evapora, tomando calor da moringa e do restante da água, que são assim resfriadas. Esta transformação da matéria é muito conhecida como processo endotérmico.

***************************

sexta-feira, 1 de maio de 2015

Vem aí: o programa "Origens" na TV NOVO TEMPO




Não percam, neste 1º de maio, a TV Novo Tempo iniciará uma programação diferente da série “Origens”. Os programas inéditos serão sempre às sextas-feiras, às 19:30 horas. Estes programas também serão reprisados aos Sábados às 12:30 e às 23:30, às terças-feiras às 10:30 e às quintas-feiras às 23h.

Os Canais da TV Novo Tempo:
Sky - Canal 14;
NET - 184;
Oi Livre - 214
ou pela internet - novotempo.com

LinkWithin

Related Posts with Thumbnails