terça-feira, 17 de junho de 2014

Fóssil vivo: foi encontrado baleia extinta há 2 milhões de anos

Segundo um estudo recente, a baleia-franca-pigmeia (Caperea marginata), que foi descrita e classificada em 1846 por John Edward Gray, pertence a um grupo de baleias que se acreditava extinto.

A descoberta, publicada em 18 de dezembro de 2012 no Proceedings of the Royal Society B, explica por que esta baleia enigmática é tão diferente de todas as outras baleias.

Segundo Felix Marx, um paleontólogo da Universidade de Otago, Nova Zelândia, aponta que “a baleia-franca-pigmeia é, se você prefere assim, um último sobrevivente, quase como um fóssil vivo. É o último espécime de uma linhagem bem antiga que até agora se imaginava não ter mais nenhum representante vivo”.

A baleia-franca-pigmeia é relativamente pequena, com apenas 6,5 metros, e vive no oceano aberto, no hemisfério sul, tendo sido avistada poucas vezes. Tanta timidez resultou no fato de que os cientistas praticamente não sabem nada sobre o habitat ou estrutura social deste mamífero.

A análise de DNA desta baleia apontou que ela divergiu das baleias modernas, como a baleia azul e a jubarte, entre 17 e 25 milhões de anos atrás [sic]. Entretanto, seu focinho, que é muito diferente dos das outras baleias, indica que ela tem um parentesco com um grupo que inclui a baleia-da-groenlândia. Entretanto, não existem estudos de fósseis mostrando como foi a evolução da baleia-franca-pigmeia.[especulação ao extremo, portanto]

Fóssil vivo
“Fóssil vivo” é o nome informal dado a um ser vivo moderno que tem características que o tornam morfologicamente semelhante a algum fóssil conhecido. Não se trata de um ser que "não evoluiu" [será?], mas de um representante moderno de uma espécie que antes era conhecida apenas no registro fóssil. [que, para se encaixar no modelo, dizem que não mudou nadinha de lá para cá... sei.]

Alguns autores sugerem que se abandone esta expressão, por ser incorreta, mas ela já está bem firme no imaginário popular.

A análise dos ossos do crânio e sua comparação com fósseis de diversos cetáceos revelou que a baleia é parente de uma família antiga chamada cetotheres, que se acreditava extinta há 2 milhões de anos.

Fontes: HypeScience

Leia mais sobre o fóssil vivo aqui e aqui 

Nota do blog criacionismo pela fé e pela razão: Mais uma furada para a lista evolucionista. Outras espécies de animais, tais como o peixe Celacanto e o rato das rochas do Laos, foram encontrados vivos, onde acreditava-se que sua espécie já tinha sido extinta há milhões de anos, não se encontrando seres intermediários no registro fóssil (assim como de nenhum outro, a não ser pela especulação evolucionista). Eu não deposito minha fé numa teoria que se contradiz o tempo todo.[ALM]

Um comentário:

LinkWithin

Related Posts with Thumbnails