terça-feira, 25 de março de 2014

Dois milhões de cientistas americanos são evangélicos


A mídia costuma apresentar cientistas e religiosos como incapazes de ter uma coexistência pacífica. Mas os resultados de uma recente pesquisa apresentam um quadro diferente. Entre os 12 milhões de cientistas dos EUA, aproximadamente dois milhões se identificam como evangélicos. A pesquisa foi realizada pela socióloga Elaine Howard Ecklund e seus colegas na Rice University, em parceria com a Associação Americana para o Avanço da Ciência. O estudo mostrou também que os cientistas evangélicos são mais ativos em sua fé que os evangélicos norte-americanos em geral. Eles são mais propensos a se considerar muito religiosos, a participar de reuniões religiosas semanalmente e a ler textos religiosos com regularidade.

Nota: Leia mais em Christianity Today

Aula Inaugural do Graduar Pré-Vestibular - curso extensivo

Nota: Estas fotos foram da aula inaugural do curso extensivo do Graduar Pré-vestibular, tiradas no dia 10/03/2014.

domingo, 9 de março de 2014

Aula inaugural no Graduar pré-vestibular

CONVITE GRADUAR PRÉ- VESTIBULAR
Aula inaugural - Dia 10 de Março de 2014 às 19h00

PALESTRAS MOTIVACIONAL E ATUALIDADES.
Aberta a todo público. Entrada Gratuita. Não Percam!

sexta-feira, 7 de março de 2014

Jovem de 13 anos constrói reator nuclear

O estudante inglês Jamie Edwards, de apenas 13 anos, acaba de construir um reator nuclear.

O reator foi ligado durante uma feira de ciências escolar, fazendo de Jamie a pessoa mais jovem do mundo a fazer uma fusão atômica bem-sucedida. Ele fez dois átomos de hidrogênios se chocarem, criando hélio por meio de uma fusão nuclear. Para comprar as peças e construir o reator, ele usou o dinheiro que ganhou de Natal e contou com ajuda do diretor da escola.

O recorde anterior pertencia a um americano, que criou um reator nuclear na garagem de sua casa com apenas 14 anos

Fonte: BBC Brasil

sábado, 1 de março de 2014

Famoso dublador brasileiro narra os dez mandamentos



Márcio Seixas é um ícone da dublagem brasileira. Ele interpretou personagens marcantes como o Batman dos novos desenhos animados, o computador HAL 9000, de “2001: Uma Odisseia no Espaço”, e o Dr. Spock, da série “Jornada nas Estrelas”, só para citar alguns exemplos. O texto do vídeo acima foi adaptado por Marcelo Rezende e Rodrigo Silva, e a edição é de Daniel Gonçalves.

Fideísmo: a maior barreira da fé

Alguns meses atrás, ao conversar com um membro da nossa igreja, entramos no assunto do mestrado que estou fazendo: filosofia da religião. Ao perceber que o rapaz não entendia exatamente do que se tratava, de maneira empolgada passei a explicar a ele que a filosofia da religião tratava basicamente da forma como podemos pensar na religião e nas nossas crenças religiosas de maneira racional e, também, nos preparar para responder os questionamentos racionais vindos da parte de pessoas que não creem em Deus. A reação dele não foi tão empolgada como a minha explicação. Contraiu os músculos da testa e da sobrancelha ao mesmo tempo e fez a pergunta que honestamente o estava atormentando durante toda a conversa: “Mas a nossa crença não deveria ser pela fé e pela fé somente? Não é em Hebreus 11 que se diz que a fé é a certeza das coisas que não se veem? Por que necessitamos de evidências racionais?”

Esse questionamento não é isolado. Ao realizar séries de apologética (defesa racional da fé cristã) por algumas cidades do Brasil, alguns membros tinham o mesmo questionamento e criavam automaticamente uma barreira para essa abordagem. Em termos mais técnicos, chamaríamos isso de fideísmo. O que significa isso? Fideísmo vem do latim fides que significa “fé”. Esta crença baseia-se na ideia de que todos os conceitos religiosos como crença em Deus, fidelidade à Bíblia como palavra revelada de Deus, entre outros, são inalcançáveis à razão e, portanto, devem ser justificados apenas através da fé. Para estes, a apologética é quase instrumento do “inimigo” para que nos apeguemos apenas à nossa capacidade mental de racionalizar e não na fé que devemos ter em vista destas questões!

Acredito que esse tipo de pensamento venha de um conceito falso do que é “fé”. Muitos mantêm o conceito de que fé é um salto cego para um abismo divino em que não existe racionalização ou racionalidade. Fé é muito mais do que isso! Significa confiar a vida, as ações, os pensamentos e crenças a algo/alguém. Em termos cristãos, trata-se de uma vida depositada nas mãos de Deus. Agora, pare para pensar um pouco comigo. Como alguém obtém fé? A Bíblia dá uma alternativa: “Mas nem todos deram ouvidos ao Evangelho. Pois Isaías disse: Senhor, quem creu na nossa mensagem? Logo a fé vem pelo ouvir, e o ouvir vem pela palavra de Cristo” (Rm 10:16, 17). Ou seja, uma das formas de se obter essa confiança em Deus é ouvir Sua Palavra. Isso não seria uma evidência dos feitos de Deus e de quem Ele é? Isso não é usar a razão para crer? Claro que sim!

O grande problema do fideísmo é que não importa o quanto digamos que não precisamos da razão para crer em Deus, quanto mais se cava, mais aparecem “bases” para a fé, ou seja, provas. Não é possível divorciar a fé de tais bases que o próprio Deus nos proporcionou. Vamos pensar um pouco mais: Por que será que Deus nos deu a capacidade de raciocinar? Será que era para que não a usássemos? Qual o motivo de Deus Se revelar nas histórias da Bíblia, ou clamar através da natureza a respeito de Sua existência, se não fosse para nos dar bases para a nossa fé?

A apologética é um lindo campo de estudo que demonstra o quanto Deus quer Se revelar para mim e para você. Não existe cegueira espiritual tão forte que não possa ser curada por esse Deus, que de muitas formas pode criar em nós a fé que Ele tanto quer que tenhamos. Basta “abrir os olhos”.


Por: Marina Garner Assis, Fé Racional

Fonte: criacionismo

LinkWithin

Related Posts with Thumbnails