quarta-feira, 28 de agosto de 2013

A mosca que refuta a teoria da evolução

Desde o princípio do século passado que múltiplas gerações de moscas da fruta foram criadas um pouco por todo o mundo. Os cientistas que levaram acabo estas experiências sujeitaram as moscas da fruta a vários tipos de radiações e a vários outros fatores criados com o propósito de produzir mutações (de modo a provar o evolucionismo).

Já foi ressalvado que mais de 3.000 novas mutações foram documentadas dentro do património genético destas moscas da fruta . Estas mutações (prejudicais e não benéficas) causaram características físicas como moscas sem olhos, moscas com olhos de cores diferentes, moscas com pernas a crescerem na sua cabeça, moscas com um par de asas extra, moscas com várias cores no corpo, moscas sem asas, moscas com asas anormalmente grandes, moscas com asas inoperacionais, moscas com asas torcidas, etc, etc. A lista poderia continuar por centenas de páginas.

As experiências com as moscas da fruta foram tão minuciosas que o número enorme de gerações produzidas, e as mutações geradas, poderiam ser equivalentes aos milhões de anos da alegada história evolutiva.

Para além disso, os cientistas agiram como o “agente selector”, acelerando a acumulação de mutações “benéficas”. Se a evolução através das mutações genéticas e da seleção natural pode realmente ocorrer, seria de esperar que a mosca da fruta se tivesse modificado para novos tipos de formas de vida que se haviam ramificado a partir da mosca da fruta original. Seria de esperar o aparecimento de criaturas que fossem parte moscas e parte outra coisa qualquer, mas o que é que nós observamos? Apenas moscas da fruta.

Após anos de experiências, milhares de mutações causadas em laboratório, e após a seleção inteligente dessas mutações, os cientistas mais brilhantes do mundo não foram capazes de produzir novos tipos de criatura a partir da Drosophila (mosca da fruta).

O que interessa reter de todas as experiências feitas é que as moscas da fruta permanecessem como sempre foram – moscas da fruta. Os resultados destas experiências ”voam” na cara do evolucionismo, mas eles são exatamente o que seria de esperar se a Bíblia fosse a Palavra de Deus.

O modelo Criacionista declara de modo específico que todos os organismos se multiplicariam segundo o seu tipo (Génesis 1:11,21,24,25). Portanto, apesar do número de mutações introduzidas e seleccionadas, seria de esperar que as moscas da fruta se reproduzissem segundo o seu “tipo”. E é exatamente isto que os últimos 100 anos de pesquisas demonstraram.

Conclusão: É espantoso como uma pequena mosca pode colocar em causa todo o frágil edifício evolucionista.

Fonte: Darwnismo

Nenhum comentário:

Postar um comentário

LinkWithin

Related Posts with Thumbnails