terça-feira, 19 de fevereiro de 2013

Dez problemas fundamentais na teoria da evolução não abordados nos livros recomendados pelo MEC PNLD 2012

 1. A falta de um mecanismo evolucionário para produzir altos níveis de informação complexa e especificada. Relacionado a esses problemas com o mecanismo darwinista produzir características de complexidade irredutível, e os problemas dos estágios não funcionais ou estágios intermediários deletérios;

2. O fracasso do registro fóssil em fornecer apoio à evolução darwinista;

3. O fracasso da biologia molecular em fornecer evidência para uma grande “Árvore da Vida”;

4. A seleção natural é um método extremamente ineficiente em espalhar as características nas populações, a menos que uma característica tenha um coeficiente de seleção extremamente alto;

5. O problema da evolução convergente parece ser demasiado - nos níveis genético e morfológico, muito embora sob a teoria darwinista isso seja altamente improvável);

6. O fracasso da química em explicar a origem do código genético;

7. O fracasso da biologia do desenvolvimento explicar por que os embriões de vertebrados divergirem desde o início do desenvolvimento;

8. O fracasso da evolução darwinista em explicar a distribuição biogeográfica de muitas espécies;

9. Uma longa história de predições inexatas inspiradas pelo neodarwinismo concernente aos órgãos vestigiais ou o tão chamado DNA “lixo”;

10. Os humanos mostram muitas características comportamentais e cognitivas, além de capacidades que não oferecem nenhuma vantagem de sobrevivência (e.g. música, arte, religião, capacidade para ponderar sobre a natureza do universo).

Fonte: Desafiando a Nomenklatura Científica

Nota do blog Desafiando a Nomenklatura Científica: As resenhas do Guia de Livros Didáticos - PNLD 2012* recomendando oito livros pelo seu conteúdo biológico atualizado, falaram muitos de controvérsias e polêmicas, mas nenhuma delas mencionou a existência desses problemas fundamentais da teoria da evolução nos livros-texto recomendados e o que isso significa no contexto de justificação teórica. O nome disso é DESONESTIDADE CIENTÍFICO-ACADÊMICA, pois o status epistêmico da teoria da evolução é discutida livremente nas publicações científicas. E os resenhistas têm acesso a estas publicações científicas...

O que teme a Nomenklatura científica quando a questão é Darwin??? Que Darwin está nu e a sua teoria sobre a origem e evolução da vida não é assim uma Brastemp??? Por que estão em silêncio sobre a nova teoria da evolução - a Síntese Evolutiva Ampliada - que somente será anunciada em 2020??? Que pelas montanhas de evidências negativas não pode e nem deve mais ser selecionista e, pasme, vai incorporar aspectos teóricos lamackistas?

Por que tudo isso é PROIBIDO ser discutido em salas de aula de ciência???

Ué, mas não ensinam nas universidades que a ciência abomina o vácuo epistêmico? Então sob qual referencial teórico está sendo feito Biologia evolucionária?

Pano rápido, Darwin kaput!!!

Nenhum comentário:

Postar um comentário

LinkWithin

Related Posts with Thumbnails