quinta-feira, 28 de fevereiro de 2013

Darwin Day na USP-Ribeirão Preto. Não vão abordar a crise epistêmica...

Agência FAPESP – A Faculdade de Filosofia, Ciências e Letras de Ribeirão Preto (FFCLRP) da Universidade de São Paulo (USP) realizará no dia 5 de março a primeira edição do Darwin Day.

O evento é uma celebração global da ciência e racionalismo e tem por objetivo a propagação de ideias relacionadas à evolução e ciências biológicas, além do pensamento científico e sua divulgação, não apenas para a comunidade acadêmica, mas para a sociedade em geral.


Participam do evento pesquisadores como Tom Wenseleers (KU Keuven, Bélgica), que falará sobre “Evolution and its role in Science and Society”, e Maria Isabel Landim (Museu de Zooologia da Universidade de São Paulo), com a palestra “Por que celebrar o Dia de Darwin”.

Gratuito e aberto ao público, o Darwin Day ocorrerá a partir das 9 horas no Anfiteatro Lucien Lison, na FFCLRP (Av. Bandeirantes, 3.900, Ribeirão Preto).

Mais informações: www.facebook.com/darwindayrp e (16) 3602-3704.


Fonte:
Desafiando a Nomenklatura Científica
Nota do blog Desafiando a Nomenklatura Científica:
Se é para adaptar-se a cada argumento, eis aqui uma relação de argumentos que demonstram a fragorosa falência epistêmica de teoria da evolução de Darwin através da seleção natural e n mecanismos evolucionários (de A a Z!!!) no contexto de justificação teórica, demandando a revisão ou descarte mais do que necessário da Síntese Evolutiva Moderna:

Dez principais problemas fundamentais na teoria da evolução:

1. A falta de um mecanismo evolucionário para produzir altos níveis de informação complexa e especificada. Relacionado a esses problemas com o mecanismo darwinista produzir características de complexidade irredutível, e os problemas dos estágios não funcionais ou estágios intermediários deletérios;

2. O fracasso do registro fóssil em fornecer apoio à evolução darwinista;

3. O fracasso da biologia molecular em fornecer evidência para uma grande “Árvore da Vida”;

4. A seleção natural é um método extremamente ineficiente em espalhar as características nas populações, a menos que uma característica tenha um coeficiente de seleção extremamente alto;

5. O problema da evolução convergente parece ser demasiado - nos níveis genético e morfológico, muito embora sob a teoria darwinista isso seja altamente improvável);

6. O fracasso da química em explicar a origem do código genético;

7. O fracasso da biologia do desenvolvimento explicar por que os embriões de vertebrados divergirem desde o início do desenvolvimento;

8. O fracasso da evolução darwinista em explicar a distribuição biogeográfica de muitas espécies;

9. Uma longa história de predições inexatas inspiradas pelo neodarwinismo concernente aos órgãos vestigiais ou o tão chamado DNA “lixo”;

10. Os humanos mostram muitas características comportamentais e cognitivas, além de capacidades que não oferecem nenhuma vantagem de sobrevivência (e.g. música, arte, religião, capacidade para ponderar sobre a natureza do universo).

Essas dificuldades não serão consideradas neste evento beija-mão, beija-pé de Darwin.

Pobre ciência!

Nenhum comentário:

Postar um comentário

LinkWithin

Related Posts with Thumbnails