quarta-feira, 22 de fevereiro de 2012

Sobre homens, periquitos e liberdade - Parte II

A seguir, o amigo leitor, irá ler e meditar a segunda e última parte da reflexão "Sobre homens, periquitos e liberdade" escrito pelo meu amigo Gilvan (Navlig). O primeiro texto foi publicado em 22 de Maio de 2010, sendo até hoje, a quarta publicação mais lida deste blog com mais de 1.671 acessos. [Clique aqui para ler novamente a 1º parte desta reflexão] Espero que gostem da segunda e última parte do texto, assim como gostaram da primeira parte. Boa Leitura!

“E conhecereis a Verdade e a Verdade vos libertará”

Vários meses se passaram e Quiquito, o periquito, não voou... Não foi embora, apesar da porta da gaiola ficar aberta o tempo todo. A liberdade, que é de sua natureza, não foi a sua escolha.

Começávamos a supor que Quiquito não queria ou não percebia a oportunidade que tinha de ir embora, voar por aí, usufruir da liberdade.

Todos os dias, eu e meu filho, observávamos e a gente via que ele ainda permanecia lá, prisioneiro apenas de suas grades imaginárias...

O tempo foi passando... Até que um dia, ouvimos um barulho vindo da gaiola e corremos para ver. Ele desaparecera! Não estava mais lá! Felizes, pensamos inicialmente que havia voado. Mas, ao observarmos com cuidado, vimos várias penas espalhadas no fundo da gaiola e ainda pudemos ver o gato que pulava o murro e fugia com o nosso Quiquito entre os dentes para degustá-lo tranqüila e gostosamente em outro quintal.....

Diz um versículo bíblico que “o tempo e a oportunidade ocorrem a todos”. Penso que, como Quiquito, sempre temos as nossas. Oportunidades que Deus nos dar de recriarmos a nossa forma de ser e agir. Refazermos laços e criar outros relacionamentos. Perdoar e buscar o perdão.

Libertarmo-nos de prisões que muitas vezes só existem dentro de nós e também só podem ser quebradas por nós mesmos, com coragem, fé em Jesus e enfrentamento da dor e possíveis conseqüências, boas ou indesejáveis. Novamente a sabedoria do livro Sagrado, a Bíblia, aponta o caminho: “Se, pois, o Filho vos libertar, verdadeiramente sereis livres”.

Contudo, essas chances e esse tempo de refazer e mudar, não são eternas, como não o foram para nosso falecido periquito. O tempo voa muito rápido e oportunidades podem não se repetir.

Lembre-se de que “Tudo tem o seu tempo determinado, e há tempo para todo o propósito debaixo do céu. Há tempo de nascer, e tempo de morrer; Tempo de plantar, e tempo de arrancar o que se plantou; Tempo de matar, e tempo de curar; Tempo de derrubar, e tempo de edificar; Tempo de chorar, e tempo de rir; Tempo de prantear, e tempo de dançar; Tempo de espalhar pedras, e tempo de ajuntar pedras; Tempo de abraçar, e tempo de afastar-se de abraçar; Tempo de buscar, e tempo de perder; Tempo de guardar, e tempo de lançar fora; Tempo de rasgar, e tempo de coser; Tempo de estar calado, e tempo de falar; Tempo de amar, e tempo de odiar; Tempo de guerra, e tempo de paz”. (Eclesiastes 3:1-8)

Por: Navilg

Nenhum comentário:

Postar um comentário

LinkWithin

Related Posts with Thumbnails