sexta-feira, 23 de dezembro de 2011

Se não existe segurança quanto à data do nascimento de Cristo no dia 25 de dezembro, por que a maioria dos cristãos a celebram nessa ocasião?

Na Bíblia não temos a data do nascimento de Jesus. Entre as suposições sobre a escolha do dia 25 de dezembro como a festa do nascimento de Jesus está uma festa romana que comemorava o nascimento do Vitorioso Sol.

Todos nós sabemos que o cristianismo, com o passar dos anos, acabou adotando muitas das festas pagãs. O Papa Gregório, o Grande, aconselhava a seus missionários a aceitarem os costumes e os lugares considerados santos pelos pagãos. O dia de todos os santos e a festa de São João se originaram dessa maneira. Provavelmente aconteceu a mesma coisa com o Natal. O clero romano eliminou a festa do solstício, o vitorioso Sol e, em seu lugar, passou a celebrar o nascimento de Cristo.

A Bíblia informa que, por ocasião do nascimento de Cristo, os pastores guardavam seus rebanhos no campo. A única época do ano em que os pastores ficavam no campo, a noite, era no verão, que na palestina vai do início de março até meados de novembro. Portanto, Cristo não deve ter nascido em dezembro.

A opção pelo dia 25 de dezembro foi feita em Roma pelo papa Júlio I, cerca do ano 350, difundindo-se por todo o ocidente. As igrejas orientais, que comemoravam o natal no dia 6 de janeiro, depois de alguma resistência, acabaram adotando a nova data. A principal dificuldade sempre esteve ligada a identificação da festa pagã do solstício.

Como já disse, a Bíblia não revela a data do nascimento de Jesus. Não faz qualquer recomendação para a veneração desse dia. Aliás, em toda a Bíblia, Antigo e Novo Testamentos, não encontramos nenhuma ordem para observação de qualquer data, além do sétimo dia da criação, o sábado.

O Natal hoje é comemorado com muita extravagância, comércio, glutonaria e ostentação. Deus não é honrado com esse tipo de comemoração. Por outro lado, porém, essa é uma oportunidade toda especial para os cristãos testemunharem a todas as pessoas da alegria que temos por que Jesus veio a este mundo, nasceu aqui e nos oferece oportunidade de salvação.

O Natal não é uma festa pagã. O natal é real. Jesus nasceu. O que pode ter origem pagã é apenas a data, 25 de dezembro. Não podemos confundir as coisas.

Por isso, os pais deveriam dirigir o pensamento dos filhos para o fato de que Deus não é glorificado pela troca de presentes extravagantes. Um espírito de humildade e bondade deveria ser uma constante na vida do cristão, independente da época do ano. E o natal também deve ser aproveitado para uma inspeção introspectiva. Devemos refletir seriamente sobre o significado do nascimento do Deus-Homem; devemos permitir que Jesus nasça, acima de tudo, em nosso coração.

Portanto, resumindo, a história sagrada e a secular não nos fornecem qualquer evidência para determinar o dia do nascimento de Cristo. Se esse dia devesse ser observado, Deus teria revelado para os profetas e os apóstolos. Nós não observamos o Natal com o pensamento de ser esse um dia religioso, cuja observância seja necessária à nossa salvação. Porém, aproveitamos esse dia e essa época do ano para relembrarmos e agradecermos a Deus por ter mandado Jesus a este planeta para nos resgatar do pecado e da condenação eterna.

Fonte: Novo Tempo

Nenhum comentário:

Postar um comentário

LinkWithin

Related Posts with Thumbnails