sexta-feira, 9 de dezembro de 2011

'Diálogo de gêmeos em fase de gestação'

No ventre de uma mulher grávida, dois gêmeos dialogam:

– Você acredita em vida... após o parto?

– Claro! Deve haver algo após o nascimento. Talvez estejamos aqui principalmente porque precisamos nos preparar para o que seremos mais tarde.

– Bobagem, não há vida após o nascimento! Afinal, como seria essa vida?

– Não sei exatamente, mas certamente haverá mais luz do que há aqui. Talvez caminhemos com nossos próprios pés e comamos com a nossa boca.

– Isso é um absurdo! Caminhar é impossível. E comer com a boca? É totalmente ridículo! O cordão umbilical nos alimenta. Além disso, andar não faz sentido, pois o cordão umbilical é muito curto.

– Sinto que há algo mais. Talvez seja apenas um pouco diferente do que estamos habituados a ter aqui.

– Mas ninguém nunca voltou de lá. O parto apenas encerra a vida. E, afinal de contas, a vida é nada mais do que a angústia prolongada na escuridão.

– Bem, não sei exatamente como será depois do nascimento, mas, com certeza, veremos a mamãe e ela cuidará de nós.

– Mamãe? Você acredita em mamãe? Se ela existe, onde está?

– Onde? Em tudo à nossa volta! Nela e através dela nós vivemos. Sem ela não existiríamos.

– Eu não acredito! Nunca vi nenhuma mamãe, por isso é claro que ela não existe.

– Bem, mas, às vezes, quando estamos em silêncio, posso ouvi-la cantando, ou senti-la afagando nosso mundo. Penso que após o parto a vida real nos espera; e, no momento, estamos nos preparando para ela.

(Autor desconhecido)

Fonte: Facebook

Nota do meu irmão gêmeos, Orlando Filho: "Para àqueles que não tiveram que dividir o já apertado espaço de uma placenta com outra pessoa, afirmo-lhes que estes tipos de diálogos acima (assim como outros filosóficos) são perfeitamente normais em gestações de gêmeos. Lembro-me até hoje de alguns destes. Afinal de contas, nós, os gêmeos, só temos duas saídas: Ou você se contenta papiando com àquele que lhe rouba o que deveria ser só seu, exclusivo nestes 9 meses ou você passa o tempo todo brigando, como aconteceu com Esaú e Jacó! Todos nós já sabemos o quão é difícil a convivência com terceiros, e em lugares tão apertados nem se fala. Bem, este é o meu sincero testemunho e minha honesta impressão. rs"

Minha nota: Achei muito engraçado e bem criativo este diálogo - por isso que publiquei. No entanto, depois de ri bastante este cômico bate-papo entre gêmeos em fase de gestação e depois de ler o tão 'sincero' relato do meu irmão gêmeo, pude perceber que na vida real (pós-gestação) não é tão diferente assim. Em nossos tempos, somos iguais a este gêmeo quanto acreditar na existência ou não em Deus. Pois o próprio Jesus Cristo diz: "... quando vier o Filho do homem, achará, porventura, fé na terra?" Todavia, mesmo no mundo pós-moderno e incrédulo em que vivemos, podemos ainda encontrar muitas maneiras de exercitarmos esta fé em Deus, cito aqui quatro razões: 1º) Revelação Natural - pela natureza e suas complexidades. 2º) Revelação Escrita - a Palavra de Deus, tão respeitada hoje pela arqueologia Bíblica. 3º) Revelação Pessoal - através de Jesus Cristo, o Filho de Deus. 4º) Revelação Plena - em comunhão intimo com Ele. Contudo,
assim como os hebreus afirmavam antigamente, hoje também posso reafirmar que: "...muitas vezes e de modo diversos falou Deus"(Hb1:1). [FN]

2 comentários:

  1. Ual, nunca vi uma comparação com o reino de Deus tão bem explicada! Muito bom!

    ResponderExcluir
  2. Prezados Senhores:
    Antes de mais nada, desculpem meus erros usando seu idioma.
    Estou me referindo a história sobre esses dois fetos que estão discutindo se a mãe existe e se existe vida após o nascimento.
    Eu escrevi esta história há 35 anos atrás, quando minha filha mais nova nasceu; está incluído no meu livro "Morfogenia". Você pode ler a história completa (em espanhol ou inglês) em www.pablomolinero.com.
    A versão na Web é um breve resumo em poucas linhas (com muitos erros), dando a idéia central da minha história (16 páginas) mas faltando muitos detalhes interessantes que você pode encontrar na história original.
    Eu vou apreciá-lo em seus Web sites indicam que o autor é Pablo J.Luis Molinero.
    É injusto e desonesto que as pessoas como Útmutató to Léleknek ("guia espiritual" em húngaro), o psicóloga checa (Dr. Jirina Prekop), rabino Haim Korsia (França), o chefe da Igreja Ortodoxa Russa em Saint Michel-Archange em Cannes e vários outros (Henry J.M. Nouwen, Henry J.W., Wayne Dyer, Guru PV Zen, vários pastores de igrejas na Europa Central, nos EUA, etc., e alguns outros, todos eles pessoas de responsabilidade psico-espiritual) fingem ser os autores apropriando-se uma autoria que não é deles.
    Muito obrigado

    ResponderExcluir

LinkWithin

Related Posts with Thumbnails