terça-feira, 15 de novembro de 2011

A dura vida dos ateus em um Brasil cada vez mais evangélico

O diálogo aconteceu entre uma jornalista e um taxista na última sexta-feira. Ela entrou no táxi do ponto do Shopping Villa Lobos, em São Paulo, por volta das 19h30. Como estava escuro demais para ler o jornal, como ela sempre faz, puxou conversa com o motorista de táxi, como ela nunca faz. Falaram do trânsito (inevitável em São Paulo) que, naquela sexta-feira chuvosa e às vésperas de um feriadão, contra todos os prognósticos, estava bom. Depois, outro taxista emparelhou o carro na Pedroso de Moraes para pedir um “Bom Ar” emprestado ao colega, porque tinha carregado um passageiro “com cheiro de jaula”. Continuaram, e ela comentou que trabalharia no feriado. Ele perguntou o que ela fazia. “Sou jornalista”, ela disse. E ele: “Eu quero muito melhorar o meu português. Estudei, mas escrevo tudo errado”. Ele era jovem, menos de 30 anos. “O melhor jeito de melhorar o português é lendo”, ela sugeriu. “Eu estou lendo mais agora, já li quatro livros neste ano. Para quem não lia nada...”, ele contou. “O importante é ler o que você gosta”, ela estimulou. “O que eu quero agora é ler a Bíblia”. Foi neste ponto que o diálogo conquistou o direito a seguir com travessões. [leia o diálogo na integra aqui]

Nota: Minha resposta da referida coluna da Revista Época que meu primo, Fábio Malheiros, me enviou.

Muito boa. Gostei da matéria e já conhecia esta jornalista, ela é fantástica e parece ser muito sincera. Agora o que eu acho disso tudo é que:

Primeiro, infelizmente, muitas igrejas evangélicas visando somente os dízimos e ofertas dos seus fieis (doutrina da prosperidade - que não é bíblico) acabam enfraquecendo suas doutrinas bíblicas. Que por fim, desviam do foco do verdadeiro evangelho de Cristo - que é o amor e o respeito ao próximo. Estas igrejas e pastores são chamados pela própria bíblia de falsos profetas e enganadores. É por isso, Fábio, que devemos estudar a bíblia para que nós não sejamos enganados e alienados também por eles.

Segundo, com relação a "não fé" da jornalista, não concordo em um ponto; o fato dela não acreditar em Deus, é sim uma forma de manter e ter uma fé - a fé que ela tem é não acreditar em um Deus ou em um Desing Inteligente.

No mais, diante a bíblia que todos nós lemos, vemos que somos todos filhos de Deus e Ele ama todos seus filhos aqui na terra - seja quem for, mesmo sendo os ateus. E mais, o Espírito Santo trabalha nos corações de cada um de seus filhos para que todos reconheçam o amor e o sacrifício que Ele fez na cruz em nosso lugar.

Contudo, Jesus ainda não voltou pela segunda vez nas nuvens do céu, é por que ainda existem filhos sinceros que não tiveram a oportunidade de O conhecer (eles só ouviram falar de Deus, mas não conhecem verdadeiramente), como esta jornalista. Em fim, oremos pelos nossos irmãos ateus. É só isso!! [FN]

Você vai gostar de ler também:

Sou ateia e sinto-me discriminada. Pronto, falei,

Ateus missionários querem “evangelizar” os EUA

A elite dos cientistas e a crença em Deus


Dr Ateu - No Princípio

Nenhum comentário:

Postar um comentário

LinkWithin

Related Posts with Thumbnails