sábado, 16 de abril de 2011

Descobertos fósseis com supostos 1 bilhão de anos

Cientistas encontraram fósseis preservados de organismos que viveram no fundo de lagos há pelo menos um bilhão de anos [segundo a tremendamente antiga cronologia evolucionista] no Lago Torridon, na costa oeste da Escócia. Segundo os especialistas, os fósseis marcam um importante momento na evolução das espécies, quando bactérias simples tornaram-se conjuntos de células mais complexas, capazes de realizar fotossíntese e reprodução sexuada. As informações são do site do Daily Mail. O professor Martin Brasier, da Universidade de Oxford, disse que os novos fósseis mostram que "o movimento em direção a complexas células começou muito antes do que se pensava". Os especialistas acreditam que esses organismos deram origem às algas verdes e plantas terrestres. "O estudo aponta que a vida na terra neste momento era mais abundante e complexa do que o previsto", disse Charles Wellman, da Universidade de Sheffield. Segundo ele, por muito tempo os continentes foram considerados "estéreis de vida, ou no máximo com uma insignificante biota de cianobactérias".

De acordo com os cientistas, cerca de 500 milhões de anos [idem] após o aparecimento dessas primeiras formas de vida, a superfície da Terra começou a ser colonizada por vetegação simples, como liquens, musgos e hepáticas. Na mesma época, os primeiros animais começaram a migrar para fora do mar.

"Foi [sic] sem dúvida esses organismos que ajudaram a transformar nossa paisagem, de um deserto árido e pedregoso, em um lugar verde e agradável", afirmou o professor Brasier. A pesquisa foi divulgada na revista Nature.

(Terra)

Nota: Para mim, essas “explicações” e passe de mágica são equivalentes. Vejamos: (1) Não existem “bactérias simples”; para elas existirem, são necessárias organelas especializadas, máquinas moleculares bastante complexas, membrana seletiva e informação genética. (2) Como essas “bactérias simples” se tornaram "conjuntos de células mais complexas", capazes de realizar fotossíntese e reprodução sexuada? Como elas foram capazes de duplicar a informação genética com precisão? Complexidade pode se originar da (suposta) simplicidade? Isso é científico? Fotossíntese e reprodução sexuada são mecanismos ultracomplexos que exigem o “surgimento/evolução” de muitas funções específicas de complexidade irredutível e, no caso dos sexos, distintas e perfeitamente compatíveis. Como surgiram? Mutações simultâneas e diferentes em organismos diferentes numa mesma época e mesmo local? (3) A admissão de que o “movimento em direção a complexas células começou muito antes do que se pensava” cria problemas para a teoria da evolução, uma vez que cada vez mais o tempo do “surgimento” da vida complexa vai recuando no passado (e essa constatação não é de hoje). Daqui a pouco restará a pergunta: Haveria tempo suficiente para a evolução da vida nesse nível de complexidade? (4) O estudo aponta que “a vida na terra neste momento era mais abundante e complexa do que o previsto”. A surpresa é apenas dos darwinistas, já que os criacionistas postulam que a complexidade está presente neste planeta desde que a vida foi criada – e é exatamente isso o que se observa de alto a baixo na coluna geológica. Não basta querer resolver esses problemas com ficção científica. Quando os criacionistas falam em dilúvio, evento que conta com evidências históricas e geológicas, são chamados de delirantes. E essa história aí acima, o que é, então?[Michelson Borges]

Nenhum comentário:

Postar um comentário

LinkWithin

Related Posts with Thumbnails