segunda-feira, 6 de dezembro de 2010

Pequenos ou grandes remendos para continuar vivendo

Fui pegar o cartão de uma das contas bancárias a fim de passar uns dados para o administrativo da empresa e me surpreendi com o estado do "coitado". Remendado, quebrado agora em mais um lugar e com os números e letras praticamente inelegíveis. Enquanto buscava uma fita adesiva para tentar salvar o velho cartão, fui levado a pensar em nossa vida. Fiquei imaginando: quantos de nós seguimos remendados e precisando de novos reparos pra continuar vivendo?

Todos temos problemas. Alguns deles deixam arranhões; outros causam feridas; e têm aqueles que chegam a nos quebrar por inteiro. Recuperar-se e continuar a jornada é necessário. Não dá para desistir de viver. Embora por vezes a vida possa perder o sentido, nada é mais precioso do que viver. Por isso, sempre vale insistir, tentar de novo - de preferência, de um novo jeito.

Depois das fraturas que sofrermos, dos dias de tempestade, semelhante ao meu cartão bancário, é provável que, ao olharmos para o espelho, encontremos vários remendos. Talvez as letras já estejam um tanto apagadas. Quem sabe nem seja possível identificar algumas de nossas histórias, e outras até tenham que ser silenciadas pelas lembranças dolorosas. A ação do tempo e dos problemas corrompe o plástico do cartão, mas não é capaz de atingir a conta bancária. Por isso, se nossa alma resistir, teremos "saldo" (energia) e vida pra viver.

FONTE: Fato pensado

Nenhum comentário:

Postar um comentário

LinkWithin

Related Posts with Thumbnails