sábado, 12 de abril de 2014

10 DICAS de um bom método para estudo

Dar conselhos de como estudar é arriscado, pois cada um apresenta seu próprio modo de ler, entender e ver a realidade. Sentar e ler algumas horas sobre certo assunto ou disciplina, para muitos, pode gerar tédio, pode ser cansativo ou mesmo insuportável. Queremos, sem outra pretensão senão a de ajudar fornecer informações que podem ser úteis para quem quer levar a sério os estudos e melhor aproveitar as oportunidades oferecidas por um bom curso preparatório.

1. Leia o livro de estudos lentamente. Algumas vezes é dada muita ênfase na velocidade de leitura. Muitos podem ler uma novela frívola à velocidade de 100 páginas por hora e entender tudo o que necessita ser entendido, contudo, ler um livro científico ou técnico é outro problema. Um estudante com velocidade rápida de leitura pode ser capaz de ler um compêndio a uma média de 20 páginas por hora, porém, se você achar que está lendo numa velocidade muito mais lenta, especialmente nos capítulos que lhe são difíceis, não sinta que alguma coisa está errada, simplesmente mantenha-se estudando, de modo lento e constante, e aprenda.

2. Utilize as questões fornecidas pelo livro. Elas foram preparadas para ajudá-lo a aprender. Elas não devem ser consideradas como apêndices extras, porém como partes integrantes do contexto, não só com a função de ajudá-lo a controlar seu entendimento do material estudado, mas também para ajudá-lo a entender este mesmo material. Em se querendo atingir uma compreensão efetiva, esta leitura deve ser efetivada.

3. Estude criticamente. Quando ler enunciados num livro, questione-os. Se o significado de um termo técnico não é claro, ou se você o esqueceu, reveja-o. Seja concentrado e questionador em seus estudos.

4. Não omita os exemplos. Não se apresse. Os exemplos são modelos de aplicação do conteúdo e o ensinarão a obter conhecimento mais aplicado. Eles o auxiliarão a aprender mais sobre o assunto, mas, apenas se você segui-los completamente.

5. Não se intimide com os nomes e conceitos que pareçam estranhos. Estranho significa “não familiar”, de maneira que conhecendo esses nomes e/ou conceitos eles não mais se tornarão não familiares, mas conhecidos do seu cotidiano estudantil. O fato de você está menos familiarizado com os termos orbitais, moléculas, metazoários, nematelmintos, do que com maçãs, cavalos e televisão, não impedirão que você pense, raciocine e memorize esses conceitos.

6. Mantenha a mente aberta. O preconceito em muito dificulta a absorção de novas ideias. O docente está mais preparado do que você para a orientação de como estudar ouça-o e questione, com educação e fineza de trato, quando oportuno, evitando, muita vez, se apegar a conceitos errôneos ou mal direcionados que você por ventura traga consigo.

7. Treine a calma e a serenidade. Muitos bons estudantes têm dificuldades em fazer provas por serem agitados ou ansiosos. A cobrança intimida em se tornar cada vez menor, em relação aos outros, costuma causar esses problemas, mas a luta em se melhorar sem se preocupar com que as pessoas pensam dará a serenidade necessária para a resolução de vários problemas, tanto na escola como na vida. Um aluno prudente cometerá menos erros que um outro ansioso e/ou nervoso. A prudência é marcante em pessoas competentes.

8. Assunto dado, assunto estudado - hoje. Uma das maiores desculpas dos alunos para não estudar é a falta de tempo. Particularmente, existem três motivos básicos para não estudar diariamente, elas são:

A. Falta de Prioridade - Ou seja, de compromisso com o objetivo, ou do próprio objetivo. A pessoa tem interesse em estudar, mas esse interesse é menor do que o de passear, curtir, descansar, dormir, jogar futebol etc.
B. Falta de Organização - E de sua melhor ajudante - a autodisciplina. A pessoa quer estudar, mas não prioriza suas atividades ou organiza um horário e não o cumpre. Aqui se inclui também o desperdício de tempo.
C. Multiplicidade de responsabilidades - Algumas vezes, pessoa tem múltiplas e indeclináveis responsabilidades, como trabalho, filhos, pessoas dentes na família, etc.

9. Pensamento e atitudes correteasX atitudes incorretas. Leia abaixo os seguintes atitudes e pensamentos que devemos ter:

Matéria que não gosto X Matéria que aprendi a gostar
Matéria que não sei X Matéria que estou aprendendo
Matéria que sou fraco X Matéria que ainda sou fraco
Matéria que sou ruim X Matéria que sou ruim no momento/por enquanto
Matéria que não aprendo fácil X Matéria que vou aprender mais

10. Estudar com intervalos. Segundo estudos feitos por pesquisadores e publicado ano passado na revista Mente Cérebro, concluiu que: “para se lembrar de algo após uma semana é preciso estudar com intervalos de 12 a 24 horas. Já para guardar na memória conteúdos por cinco anos o espaço de tempo para retomar o conteúdo varia entre seis e 12 meses”. Portanto, divida as disciplinas em horas que você vai estudar intercalando-as cada uma. Exemplo:
14:00min matemática;
16:00min geografia;
17:00min Física;
19:00min descanso

OBS: Tome mais tempo naquelas disciplinas que você tiver mais dificuldade para aprender.

Lembre-se: “Inteligência é uma habilidade que nasce com todos os seres humanos”.

Ariano Suassuna detona a evolução com um prendedor de roupas


Não É Noé

Nota: Ontem, (10/04) fui ao cinema, matei minha curiosidade e assistir o filme Noé - são várias cenas que 'Não É' nada a ver com a história de Noé.

Leia as críticas:
“Noé” é um show de cabala e gnosticismo;

Filme “Noé” aumenta leitura da Bíblia em cerca de 300%;
 

Noé: licenças e diferenças entre o filme e a Bíblia; 

“Noé” mistura evolucionismo com distorções da Bíblia.

Dê um clique na imagem para ampliar

terça-feira, 25 de março de 2014

Dois milhões de cientistas americanos são evangélicos


A mídia costuma apresentar cientistas e religiosos como incapazes de ter uma coexistência pacífica. Mas os resultados de uma recente pesquisa apresentam um quadro diferente. Entre os 12 milhões de cientistas dos EUA, aproximadamente dois milhões se identificam como evangélicos. A pesquisa foi realizada pela socióloga Elaine Howard Ecklund e seus colegas na Rice University, em parceria com a Associação Americana para o Avanço da Ciência. O estudo mostrou também que os cientistas evangélicos são mais ativos em sua fé que os evangélicos norte-americanos em geral. Eles são mais propensos a se considerar muito religiosos, a participar de reuniões religiosas semanalmente e a ler textos religiosos com regularidade.

Nota: Leia mais em Christianity Today

Aula Inaugural do Graduar Pré-Vestibular - curso extensivo

Nota: Estas fotos foram da aula inaugural do curso extensivo do Graduar Pré-vestibular, tiradas no dia 10/03/2014.

domingo, 9 de março de 2014

Aula inaugural no Graduar pré-vestibular

CONVITE GRADUAR PRÉ- VESTIBULAR
Aula inaugural - Dia 10 de Março de 2014 às 19h00

PALESTRAS MOTIVACIONAL E ATUALIDADES.
Aberta a todo público. Entrada Gratuita. Não Percam!

sexta-feira, 7 de março de 2014

Jovem de 13 anos constrói reator nuclear

O estudante inglês Jamie Edwards, de apenas 13 anos, acaba de construir um reator nuclear.

O reator foi ligado durante uma feira de ciências escolar, fazendo de Jamie a pessoa mais jovem do mundo a fazer uma fusão atômica bem-sucedida. Ele fez dois átomos de hidrogênios se chocarem, criando hélio por meio de uma fusão nuclear. Para comprar as peças e construir o reator, ele usou o dinheiro que ganhou de Natal e contou com ajuda do diretor da escola.

O recorde anterior pertencia a um americano, que criou um reator nuclear na garagem de sua casa com apenas 14 anos

Fonte: BBC Brasil

sexta-feira, 28 de fevereiro de 2014

Famoso dublador brasileiro narra os dez mandamentos



Márcio Seixas é um ícone da dublagem brasileira. Ele interpretou personagens marcantes como o Batman dos novos desenhos animados, o computador HAL 9000, de “2001: Uma Odisseia no Espaço”, e o Dr. Spock, da série “Jornada nas Estrelas”, só para citar alguns exemplos. O texto do vídeo acima foi adaptado por Marcelo Rezende e Rodrigo Silva, e a edição é de Daniel Gonçalves.

Fideísmo: a maior barreira da fé

Alguns meses atrás, ao conversar com um membro da nossa igreja, entramos no assunto do mestrado que estou fazendo: filosofia da religião. Ao perceber que o rapaz não entendia exatamente do que se tratava, de maneira empolgada passei a explicar a ele que a filosofia da religião tratava basicamente da forma como podemos pensar na religião e nas nossas crenças religiosas de maneira racional e, também, nos preparar para responder os questionamentos racionais vindos da parte de pessoas que não creem em Deus. A reação dele não foi tão empolgada como a minha explicação. Contraiu os músculos da testa e da sobrancelha ao mesmo tempo e fez a pergunta que honestamente o estava atormentando durante toda a conversa: “Mas a nossa crença não deveria ser pela fé e pela fé somente? Não é em Hebreus 11 que se diz que a fé é a certeza das coisas que não se veem? Por que necessitamos de evidências racionais?”

Esse questionamento não é isolado. Ao realizar séries de apologética (defesa racional da fé cristã) por algumas cidades do Brasil, alguns membros tinham o mesmo questionamento e criavam automaticamente uma barreira para essa abordagem. Em termos mais técnicos, chamaríamos isso de fideísmo. O que significa isso? Fideísmo vem do latim fides que significa “fé”. Esta crença baseia-se na ideia de que todos os conceitos religiosos como crença em Deus, fidelidade à Bíblia como palavra revelada de Deus, entre outros, são inalcançáveis à razão e, portanto, devem ser justificados apenas através da fé. Para estes, a apologética é quase instrumento do “inimigo” para que nos apeguemos apenas à nossa capacidade mental de racionalizar e não na fé que devemos ter em vista destas questões!

Acredito que esse tipo de pensamento venha de um conceito falso do que é “fé”. Muitos mantêm o conceito de que fé é um salto cego para um abismo divino em que não existe racionalização ou racionalidade. Fé é muito mais do que isso! Significa confiar a vida, as ações, os pensamentos e crenças a algo/alguém. Em termos cristãos, trata-se de uma vida depositada nas mãos de Deus. Agora, pare para pensar um pouco comigo. Como alguém obtém fé? A Bíblia dá uma alternativa: “Mas nem todos deram ouvidos ao Evangelho. Pois Isaías disse: Senhor, quem creu na nossa mensagem? Logo a fé vem pelo ouvir, e o ouvir vem pela palavra de Cristo” (Rm 10:16, 17). Ou seja, uma das formas de se obter essa confiança em Deus é ouvir Sua Palavra. Isso não seria uma evidência dos feitos de Deus e de quem Ele é? Isso não é usar a razão para crer? Claro que sim!

O grande problema do fideísmo é que não importa o quanto digamos que não precisamos da razão para crer em Deus, quanto mais se cava, mais aparecem “bases” para a fé, ou seja, provas. Não é possível divorciar a fé de tais bases que o próprio Deus nos proporcionou. Vamos pensar um pouco mais: Por que será que Deus nos deu a capacidade de raciocinar? Será que era para que não a usássemos? Qual o motivo de Deus Se revelar nas histórias da Bíblia, ou clamar através da natureza a respeito de Sua existência, se não fosse para nos dar bases para a nossa fé?

A apologética é um lindo campo de estudo que demonstra o quanto Deus quer Se revelar para mim e para você. Não existe cegueira espiritual tão forte que não possa ser curada por esse Deus, que de muitas formas pode criar em nós a fé que Ele tanto quer que tenhamos. Basta “abrir os olhos”.


Por: Marina Garner Assis, Fé Racional

Fonte: criacionismo

terça-feira, 25 de fevereiro de 2014

"Descoberta causa primeira do aparecimento da vida no Universo"

Cientistas russos e italianos apresentaram os resultados de investigações conjuntas sobre o mecanismo de nascimento da vida no Universo numa conferência realizada no passado dia 19 de fevereiro, na embaixada da Itália em Moscou.

Evgueni Krasavin, diretor do Laboratório de Biologia Radioativa do Instituto Unido de Estudos Nucleares em Dubna, e o professor Ernesto Di Mauro, da Universidade de Roma Sapienza, contaram como, graças a complexas experiências, eles conseguiram criar os processos químicos que levaram a compostos pré-biológicos como ácidos gordos e ácidos nucleicos de ARN. Considera-se que eles são precisamente o “material de construção” fundamental para o aparecimento de organismos vivos.

Os estudos foram realizados em exemplares de meteoritos. Pois os materiais de origem espacial são precisamente os componentes mais ativos para a realização da síntese química necessária. No laboratório, os cientistas tiveram de modelar as condições espaciais para compreender como dispara o mecanismo de aparecimento de compostos pré-biológicos. Para isso, amostras de meteoritos foram sujeitas à ação de partículas carregadas nos aceleradores do Instituto Unido de Estudos Nucleares (IUEN).

Além disso, os cientistas assinalaram que, atualmente, no Espaço foram detetadas cerca de 80 moléculas orgânicas. As mais frequentes entre elas são as moléculas de ácido cianídrico (HCN). Quando esse ácido entra em contato com a água, forma-se formamida. Esta é encontrada no pó espacial, nas caudas dos cometas. E precisamente dela podem surgir ácidos gordos e nucleicos, que, como é sabido, são a base da membrana das células.

O professor Krasavin explicou a essência da experiência conjunta russo-italiana:

“Foi realizada a radiação de sistemas dispersos de pó meteorítico e formamida, e, depois, estudou-se o que se formou. A radiação apenas da formamida dá origem a alguns produtos, mas quando da radiação de protões com substância de meteoritos, obtemos aqui absolutamente tudo: ARN, diversos açúcares. Aqui existem todos os elementos para construir macro-moléculas informativas e, nas etapas iniciais, para garantir o metabolismo.”

Isso significa que a vida podia formar-se nos mais diferentes cantos do Universo, tal simultaneamente, como em tempos diferentes. Não se pode excluir que continuem a ocorrer hoje semelhantes processos de nascimento da vida.

O professor Ernesto Di Mauro, ao falar à Voz da Rússia, dos estudos realizados, assinalou:

"Todos os componentes essenciais no metabolismo são formados espontaneamente. E assim não há necessidade nem de intervenção divina, nem, especialmente, uma química complicada. A vida é muito fácil de organizar. E isso já é uma forte mensagem." [Será?]

Resumindo, não só os cientistas da Itália e da Rússia, mas também todos nós nos aproximamos da descoberta do grande segredo da criação da vida.

Fonte: A Voz da Rússia

Comentário informal do Dr. Marcos Eberlin (Prof. de Química da Unicamp): Gente, descoberta a "Causa Primeira" da Vida, Aristóteles se remoeu todo em seu caixão... Nunca ouvi frase tão descabida, tão medieval, tão néscia, e tão desprovida de qualquer base científica... É o cúmulo mór da ignorância química, me desculpe o professor erudito que disse isso, mas falou e então assumiu o risco da besteira que disse: Que absurdo, o cara fugiu das aulas de Química, e Bioquímica, e Biologia... a Vida é muito fácil de organizar... kkkk, fui rindo a toa da desesperação desesperada que leva um ser racional a falar o oposto do que os fatos nos mostram...

Contaram como, graças a complexas experiências, eles conseguiram criar os processos químicos.... complexas experiências ...criação por mentes inteligentes... de blocos que jamais reagirão espontaneamente para formar sequer um mísero RNA, ou uma mísera proteína... e os caras descobriram a "Causa Primeira" da Vida... vade retro arrogância e enganação... só porque são cientistas podem falar qualquer bobagem enganando os pagadores de impostos, seus chefes, o povo, que paga os salários desse pessoal... Eu de muito já perdi a paciência com tanta arrogância, com tanta enganação, com essa farsa científica que se faz passar de erudição, dessa petulância toda que leva um ser racional a delirar em público e se "achar" como o descobridor da "causa primeira" da Vida nesse planeta, só porque em seus tubos de ensaio, que NADA tem a ver com as condições reais que um dia poderiam ter existido nesse planeta, e NADA a ver com os processos que a VIDA realmente usa, pois a VIDA dá bola nenhuma os que fazemos em nosso tubos de ensaio, lançam frases bombásticas como essa para seu "minuto de fama" contando com a ignorância tua e minha.... Eu felizmente sei um pouco de Química e sei avaliar o absurdo total de tal enganação...

Nota do blogueiro André Luiz: Se é tão "fácil" assim de organizar a vida, por que eles não criam uma vida do nada pra demonstrar pra gente? Seria mais fácil do que ficar na teoria. mesmo que demonstrassem, só provariam que a vida só pode surgir guiada e projetada por uma mente inteligente (neste caso, mais ou menos inteligente)...[ALM]

Nota do blog Ciência e Fé: É lamentável ler este tipo de pesquisa. Para quem não sabe química é fácil acreditar nesse tipo de informação!

Engenheiro diz ter descoberto segredo das pirâmides

Normalmente, quando falam sobre essa teorias de como as pirâmides foram construídas, elas soam como teorias malucas, conspiratórias, mas esta faz muito sentido, até porque, se isso for verdade, é uma grande descoberta para a atualidade e vai ajudar a entender melhor como tal sociedade vivia e como pensavam. O que sugeriam até o momento é que as pirâmides foram construídas a partir de uma pequena base, e que assim iriam acrescentando blocos gigantes pela parte de fora, ou seja, construiriam as bases, encheriam de entulhos os espaços vazios, e usariam rampas para levar os próximos blocos. Convenhamos que se isso fosse a realidade, seria inviável, e até mesmo falta de planejamento por parte dos engenheiros da época, comparando com a magnitude da obra final. O que o engenheiro Peter James sugere é uma ideia realmente impressionante, e muito interessante. Ele que trabalha na restauração das pirâmides há mais de 20 anos, teve muito tempo para pensar sobre isso, e também teve acesso para entender como elas foram montadas; então ele chegou à conclusão de que a melhor forma de montar os dois milhões de blocos não seria por rampas, mas pela utilização da água, até porque é o que eles tinham de mais abundante, tirando a areia, é óbvio. Enfim, assista aos vídeos para entender melhor.



Como foram as pirâmides do Egito realmente construído - Parte 1


Como foram as pirâmides do Egito realmente construído - Parte 2

Fonte: Pepperoni

domingo, 23 de fevereiro de 2014

Ciência e religião andam juntas nos EUA

 Ciência e religião podem se misturar facilmente nos Estados Unidos, um país relativamente religioso, revelou uma pesquisa publicada no domingo, 16. O estudo da Universidade de Rice, no Texas, foi feito com mais de 10 mil americanos, inclusive cientistas e evangélicos. “Nós descobrimos que quase 50% dos (cristãos) evangélicos acreditam que ciência e religião podem trabalhar juntas e apoiar uma a outra”, afirmou a socióloga Elaine Howard Ecklund. Ecklund apresentou os resultados no encontro anual da Associação Americana para o Avanço da Ciência (AAAS), em Chicago. Apesar de amplamente diverso, os Estados Unidos têm maioria cristã. “Isso contrasta com o fato de que apenas 38% dos americanos sentem que ciência e religião podem trabalhar juntas”, explicou Ecklund. A consulta revelou que 27% dos americanos acreditam que ciência e religião estão em desacordo e que entre aqueles que se sentem dessa forma, 52% se posicionam do lado da religião.

O estudo da Universidade de Rice demonstrou que os cientistas e a maioria da população são ativos similarmente em suas vidas religiosas. A pesquisa demonstrou que 18% dos cientistas assistiram a cultos religiosos semanais, em comparação com 20% da população em geral.

A consulta também demonstrou que 15% dos cientistas se consideram muito religiosos contra 19% da população em geral. Enquanto isso, 13,5% dos cientistas leem textos religiosos semanais, em comparação com 17% da população americana. Dezenove por cento rezam várias vezes ao dia contra 26% da população como um todo.

Além disso, quase 36% dos cientistas afirmaram não ter dúvidas sobre a existência de Deus. “A maioria do que vemos nos noticiários é de histórias sobre esses dois grupos divergentes sobre questões controversas, como o ensino do criacionismo nas escolas”, disse Ecklund. Portanto, “essa é uma mensagem esperançosa para os desenvolvedores de políticas e educadores, porque os dois grupos não têm que abordar a religião com uma atitude de combate”, prosseguiu Ecklund. “Ao invés disso, deveriam abordar o tema tendo a colaboração em mente”, concluiu.

Fonte: A Tarde

Nota do blog criacionismo: De certa forma, essa é uma boa notícia, pois mostra que, em um país desenvolvido, onde se faz ciência e pesquisa de ponta, a religião continua tendo um papel importante, e que o antagonismo entre ciência e religião é artificialmente estimulado pelos neoateus militantes. O lado ruim da questão é que os criacionistas, pra variar, são, de certa forma, tidos como os “patinhos feios” (fundamentalistas). [Michelson Borges]

domingo, 16 de fevereiro de 2014

Novo modismo: dieta evolucionista

Como se já não bastasse a falaciosa e evolucionista dieta do tipo sanguíneo, agora vira moda outra ainda mais “uga-uga”: a dieta paleolítica. Esse foi o assunto de capa da revista Época desta semana, que informa: “Ninguém fica indiferente à forma de emagrecer mais falada do momento. A dieta paleolítica, ou dieta neandertal, ou, ainda, dieta dos homens da caverna propõe a volta da alimentação de nossos ancestrais [deles, não meus], bem antes da agricultura, para evitar (ou curar!) diabetes, distúrbios metabólicos, problemas do coração, obesidade e perder peso – muito peso. Para justificar a viagem no tempo, afirmam que essa é a alimentação para a qual nosso organismo foi moldado por milhões de anos de evolução [sic]. As doenças são respostas do corpo ao excesso de carboidrato, açúcar e alimentos processados impostos pela dieta contemporânea, afirmam os neoneandertais.”

A inversão do argumento criacionista é impressionante e mostra como a filosofia evolucionista está impregnando todas as áreas. Os criacionistas sempre disseram que é preciso voltar à dieta original criada por Deus para os primeiros seres humanos, ou seja, frutas, sementes e nada de carne (conforme está registrado nos primeiros capítulos do livro de Gênesis). Aí vêm os evolucionistas e dizem que temos que comer não como Adão e Eva, mas como os “homens das cavernas” da ficção deles.

O texto da revista prossegue: “A máxima da dieta paleolítica é comer alimentos naturais de fonte animal e vegetal. O cardápio paleolítico inclui carne de qualquer tipo, legumes, verduras, tubérculos (como inhame e batata-doce, de preferência), frutas e nozes – estas com moderação. Estão excluídos quaisquer vegetais que cresçam dentro de vagens (feijão, soja, ervilha, amendoim), cereais (como milho, aveia e trigo), carboidratos de produtos processados e açúcar. Deve-se evitar cozinhar a temperaturas muito altas, com panelas diretamente no fogo. O recomendado são alimentos assados em fornos a, no máximo, 180 graus centígrados. Há variações entre os páleos. Alguns permitem leite e derivados, ou bebidas alcoólicas, com moderação.”

Mais adiante, é dito que, além da dieta, é necessário incluir um programa de exercícios físicos “para manter o corpo tão malhado quanto acreditam que os homens das cavernas tinham”. Além disso, os páleos cortam o açúcar, alimentos industrializados e o carboidrato. Assim fica fácil emagrecer e recuperar alguma saúde, já que as pessoas hoje em dia são sedentárias e comem e bebem muita porcaria. Imagino que um vegetariano que não se exercita e come muito açúcar deverá mesmo ter desvantagens em relação a um neoneandertal. Mas isso não significa que essa nova dieta evolucionista mirabolante seja vantajosa sobre o vegetarianismo criacionista. Significa, sim, que há muitos vegetarianos dando “mau testemunho” por aí...

Graças às redes sociais, o poder de convencimento de certos modismos acaba sendo potencializado. Os páleos adoram postar fotos de seus barrigões, antes, e de sua barriga chapada, depois de aderir à dieta. Mas redução da cintura não é o único fator de saúde e não faltam críticas à dieta neandertal.

Segundo Época, “os argumentos vão desde o princípio em si, passando por cada uma das restrições, até o aumento da gordura de proteína animal”, e cita as adaptações sofridas por nosso organismo e os problemas relacionados com a dieta cárnea. “Os animais antigamente se alimentavam de plantas e viviam soltos. A carne de hoje vem de bichos que ingerem rações feitas de grãos [e otras cositas más], vivem confinados e tomam medicamentos.” Boa lembrança para os neocavernosos.

“Outro ponto de discórdia é a ausência de grãos. Sem eles, o funcionamento do intestino fica prejudicado. Uma pesquisa da Universidade de Granada, na Espanha, constatou que o consumo regular de grãos integrais reduz entre 20% e 30% as chances de ter diabetes tipo 2 e câncer de intestino. Outro estudo, da Faculdade de Medicina de Harvard, concluiu que a ingestão de grãos integrais colabora para a prevenção de doenças cardíacas, pois suas fibras contribuem para baixar o colesterol.”

Ao contrário das muitas pesquisas que têm apontado as vantagens do vegetarianismo, a dieta paleolítica ainda é relativamente pouco conhecida e investigada. Adotar a dieta páleo é obter alguns benefícios embutidos em malefícios e correr riscos desnecessários (como correram os que abraçaram a tal dieta do tipo sanguíneo). Aderir ao estilo de vida proposto pela Bíblia e pelos surpreendentes escritos de Ellen White continua sendo o caminho ideal com benefícios comprovados ao longo dos séculos.

E aí? Você vai entrar no modismo evolucionista ou prefere ficar com a ciência e a Revelação divina?

Fonte: criacionismo

domingo, 9 de fevereiro de 2014

Mude suas palavras. Mude seu mundo


"Este vídeo foi feito com base no conto "O Cego e o Publicitário". A história do vídeo não é novidade pra ninguém. Fizemos ele para divulgar ainda mais essa mensagem. Escolha bem suas palavras!!!"
Related Posts with Thumbnails